“A dor acostumada, não se sente.” Camões

Posted in Meu querido diário on 09/05/2012 by Natalie

Dicionário Priberam: AUTISMO: s. m. [Medicina] Estado mental caracterizado pela tendência a alhear-se do mundo exterior e ensimesmar-se.

Modo Autista por opção, ATIVADO.

 

Sempre fui muito chatinha antissocial e introvertida. Cheguei a tentar tratamento psicológico com a intenção de melhorar isso, no entanto parei quando minha mãe disse ” Talí, não há nenhum trauma que justifique seu jeito de ser, você sempre foi assim. Tanto que quando você era bebê eu te colocava para brincar com bebês da sua idade, filhas de amigas minha, mas após alguns instantes, você pegava seu brinquedo e engatinhava para um canto onde pudesse brincar sozinha.”

Nos últimos dias estou cada vez mais reflexiva, e isso infelizmente faz com que eu me mostre distante e fria com pessoas queridas.

Contudo, felizmente a dor está cada vez menor. Agora posso dizer que nem mesmo a sinto. Mas a sensação de ter esquecido algo ainda me acompanha.

PS.: Há males que vêm para o bem. No sábado roubaram meu celular, e apesar de a princípio ter ficado um pouco agitada, logo notei que isso foi bom. Digo isso porque agora não há como eu ficar com o coração palpitando cada vez que escuto o barulhinho de “nova mensagem”.

‘Sem você as emoções do amanhã serão apenas pele morta das emoções do passado.’

Posted in Meu querido diário on 01/05/2012 by Natalie

Estranho. Muito estranho. Ainda não derramei uma lágrima. De repente elas secaram.
Nem mesmo posso dizer que estou sofrendo. Sinto-me fria, indiferente e amarga.
Penso nele todos os dias. Sabe quando saímos de casa às pressas e ficamos com aquela sensação de termos esquecido algo? então… É isso o que sinto a todo momento.
Hoje faz uma semana que não tenho qualquer contato com ele, era para eu estar sufocando de tanto chorar, morrendo de dor ao sentir meu coração ficar do tamanho de uma azeitona. No entanto estou aqui incapaz de chorar… Completamente perdida.
Entre tantas fotos na minha parede, as dele ainda estão lá… Sei lá, não quis tirar. Quando olho para elas, sinto um aperto na garganta, penso que o choro virá para me trazer algum alívio, mas nada acontece.

Bom, hoje mais uma vez assisti o filme da Amélie, e descobri informações que nunca havia notado. Tais como, Amélie tem 23 anos no filme, sim 23; isso é dito tão brevemente numa cena em preto e branco que não é de se estranhar eu nunca ter notado antes. Outra informação é… Amélie foi concebida em 03.09.1973, isto é 3+9+1+9+7+3=32 portanto 23 ao contrário. Ao notar isso, quis enviar um sms para ele e dizer mais essa bobagem contendo o número 23, mas daí lembrei que não posso fazer isso, recordei que preciso continuar conseguindo me conter.

Infelizmente noto que tentar acabar com essa paixão será mais difícil do que imaginei, é quase impossível esquecer ele.

Por falar em quase, o horário da concepção da Amélie é 18:28:32 portanto 1+8+2+8+3+2 é igual aaaaaah ? 24 … É neste caso foi por pouco, quase também deu 23.

PS.: Sobre o número 23 https://nataliesantos.wordpress.com/2007/10/21/numero-23/

Ouça – Maysa

Posted in Música on 29/04/2012 by Natalie

Ouça, vá viver
Sua vida com outro bem
Hoje eu já cansei
De pra você não ser ninguém

O passado não foi o bastante
Pra lhe convencer
Que o futuro seria bem grande
Só eu e você

Quando a lembrança
Com você for morar
E bem baixinho
De saudade você chorar

Vai lembrar que um dia existiu
Um alguém que só carinho pediu
E você fez questão de não dar
Fez questão de negar

Eu Quero Sempre Mais – IRA

Posted in Música on 25/04/2012 by Natalie

Não suporto a Pitty,  mas a letra da música é bem bacana.

Eu Quero Sempre Mais  – IRA

A minha vida

Eu preciso mudar
Todo dia
Prá escapar
Da rotina
Dos meus desejos
Por seus beijos…

E os meus sonhos
Eu procuro acordar
E perseguir meus sonhos..

Mas a realidade
Que vem depois
Não é bem aquela
Que planejei…

Eu quero sempre mais!
Eu quero sempre mais!
Eu espero sempre mais!
De ti!…

Por isso hoje
Estou tão triste
Por que querer está
Tão longe de poder?…

E quem eu quero
Está tão longe
Longe de mim…

Longe de mim!
Longe de mim!
Longe de mim!…

(Longe de mim!)
(Longe de mim!)…

Desilusão amorosa…

Posted in Meu querido diário on 22/04/2012 by Natalie

Imagem

Parece que certas pessoas só entram na nossa vida para aumentar o caos que você demorou muito tempo pra arrumar. Dai cada vez mais surge o medo de arriscar… e com isso muitas vezes perdemos pessoas maravilhosas. Está foda encontrar alguém que valorize e priorize os mesmo sentimentos que você!

By Frases Incríveis

17.04 – FELIZ ANIVERSÁRIO VÓ, PARABÉNS PELOS SEUS SEI LÁ… ACHO QUE 74 ANOS.

Posted in Meu querido diário on 17/04/2012 by Natalie

Altruísta, essa é a palavra que descreve minha avó.

Uma pessoa cheia de amor e bons sentimentos, embora tenha sofrido muito na vida.

Pulso de ferro.

Forte de maneira até preocupante; consigo literalmente contar nos dedos quantas vezes vi minha avó chorar ou demonstrar qualquer tipo de fraqueza.

Recentemente ela me disse que quando ela morrer, eu serei a pessoa que mais sentirei falta dela e chorarei muito pela sua ausência. Infelizmente, para mim, creio que isso é verdade.

A esquina

Posted in Meu querido diário on 01/02/2012 by Natalie

     Demorei para dar meu primeiro beijo e confesso que houve alguma ansiedade pelo momento.

No entanto, para minha decepção, descobri que beijar não era alto tão mágico quanto eu havia lido nos livros de Pedro Bandeira.

Todavia, com o tempo e após novas experiências, descobri que um beijo em um momento certo se torna (pela soma de sensações), algo mágico.  Hoje tive um desses beijos.

Bom, que sou paulistana, adoradora de abraços, chuva e cinema todos estão cansados de saber. Por isso acredito que é possível imaginar o quanto foi especial beijar alguém que amo, em plena esquina da Ipiranga com a  São João, em uma tipica noite chuvosa de sampa, logo após ter assistido um filme nacional no cinema.        ^_^

Acredito que de fato uma vida feliz é constituída por lembranças de momentos que nos fizeram perder o fôlego, e hoje tive um momento inesquecível desses. Simples e justamente por isso memorável.